Central CECOOP

O trabalho sério, eficaz e transparente transformou a CECOOP em uma referência para o cooperativismo de crédito no Espírito Santo. 

As cooperativas filiadas, COOPSEFES, CREDI-ALIMENTO, CREDEXTRA, CREDSUL,COOPFISCO E CRED-UFES não só atestam a credibilidade dos serviços prestados pela instituição como reconhecem a importância da Central como instrumento de condução do seu processo político e de organização econômico-financeira e social.

É assim, com união, a grande essência do cooperativismo, que a CECOOP acumula conquistas e segue firme, garantindo o crescimento sustentável de todo o sistema.

 

Sistema CECOOP

Fundada no ano de 2003, a Central Cooperativa de Crédito (CECOOP) surgiu com o propósito de agregar, organizar, supervisionar e representar as cooperativas de economia e crédito mútuo do Espírito Santo, contribuindo para o fortalecimento do segmento no Estado.

 

O trabalho realizado cresceu, ganhou força e hoje o sistema integrado de cooperativas de crédito da CECOOP conta com quatro filiadas que, juntas, atendem cerca de 6 mil pessoas.
As instituições têm acesso à assistência técnica e assessoria especializada em diversas áreas, com apoio à sua estruturação e à sua gestão, contribuindo para a credibilidade das cooperativas junto aos públicos cooperados.

 

Uma conquista marcante em todos esses anos foi a autonomia para atuar com sistema próprio de compensação financeira (Compe/SPB), oferecendo à sua rede de cooperativas singulares os mesmos serviços de um banco comum. Assim, a CECOOP foi a primeira Central de cooperativa de crédito do Espírito Santo a receber um código de instituição financeira (nº 114) do Banco Central do Brasil, podendo realizar diretamente operações como compensação de cheques, DOC e TED. Ainda hoje, o número de instituições que possuem a autorização no Brasil é restrito.

 

Acompanhando a evolução e o dinamismo das suas atividades, em 2016, a instituição entrou em uma nova fase.
Reformulou a sua marca e mudou de nome, passando de CECOOPES para CECOOP, investiu na formação de uma equipe altamente qualificada e implantou um novo sistema tecnológico para operações bancárias e linhas de crédito.

História

A Central Cooperativa de Crédito (CECOOP) foi criada em 2003 e, desde então, atua com o objetivo de fortalecer o cooperativismo de crédito no Espírito Santo.

Com um trabalho que preza pela transparência, a Central agrega, organiza e representa atualmente sete cooperativas de crédito, oferecendo assistência técnica, supervisão e assessorias especializadas em diversas áreas, contribuindo para a estruturação, a gestão e a credibilidade das filiadas. Para isso, conta com o apoio de uma equipe técnica altamente capacitada e qualificada na área do cooperativismo.

Na parte financeira, dispõe de estrutura e tecnologia que permitem pagamento e recebimento de salários dos cooperados, seguros diversos, conta corrente e pagamento de contas, boletos bancários e linhas de crédito com taxas de juros melhores e aplicações com remuneração melhor que a do mercado. Também está trabalhando na estrutura para oferecer cartão de débito e crédito e operações online.

Uma grande conquista desses anos de atuação foi a autonomia, dada pelo Banco Central, para a realização de operações bancárias pelo Código 114 e pela COMPE (Conta de Compensação Própria).
É por meio dessa autorização que a Central está apta a oferecer a sua rede de cooperativas singulares, os mesmos serviços de um banco comum.

A CECOOP foi a primeira Central de Cooperativa de Crédito a conquistar o benefício no Espírito Santo, em 2011. E, no Brasil, o número de instituições com essa autorização ainda é restrito.

Com essa possibilidade, a CECOOP e suas filiadas entraram em um novo ciclo, com mais autonomia, e eficiência, implantação de serviços adicionais e atualização tecnológica, além de obterem redução de custos e agilidade nos processos. Sendo, ainda, uma oportunidade de expandir fronteiras e ampliar a sua área de atuação.

Foi pensando nisso que, recentemente, a instituição reformulou a sua marca. O nome passou de CECOOPES para CECOOP - Central Cooperativa de Crédito - e a logo ganhou um design moderno com o símbolo do cooperativismo e as cores do Brasil, remetendo à integração e ao dinamismo do trabalho desenvolvido.

 

 

Missão, Visão e Valores

 
Missão
Garantir o crescimento e desenvolvimento sustentável do sistema CECOOP, oferecendo soluções, produtos e serviços, fomentando o cooperativismo e promovendo a padronização, supervisão, integração operacional, financeira, normativa e tecnológica.
 
Visão
Ser reconhecida como a Central de Crédito que possui a melhor solução para o crescimento e desenvolvimento sustentável das cooperativas de crédito que operam em sua área de atuação.
 
Valores
Integração plena com as filiadas;
Incentivo e apoio a intercooperação;
Equidade na formação dos preços de produtos e serviços;
Forma justa na distribuição do resultado;
Fomento à educação e prática cooperativista;
Gestão responsável, transparente, ética e profissional;
Comprometimento, solidariedade e respeito.

 

Vantagens


Para os cooperados (pessoas e empresas) das cooperativas afiliadas

As cooperativas filiadas à CECOOP não precisam mais utilizar o serviço de compensação de outros bancos para efetuar serviços rotineiros, como compensação de cheques, DOC, TED e cobranças. Sem a necessidade de uma instituição intermediadora com o mercado financeiro, os custos dessas operações foram reduzidos trazendo uma economia que, no sistema de cooperativas, retorna ao associado na forma de distribuição das sobras.

 

A conquista da Compe/SPB própria permite a sua Cooperativa ampliar a oferta de serviços aos cooperados, como por exemplo: débito automático de faturas emitidas por empresas públicas e privadas de todo o Brasil, a adesão ao DDA (Débito Direto Autorizado) e a emissão de cobrança própria (boletos que hoje são feitos através de outros bancos). 

 

Assim, a CECOOP, traz às Cooperativas a possibilidade de trabalhar com mais autonomia e facilidades para realização das operações, oferecendo os mesmos produtos que os grandes bancos, porém, a custos reduzidos, com menos burocracia e com mais qualidade.

 

Ao fazer parte de uma das cooperativas de crédito singulares da CECOOP, o associado passa a ter acesso ao crédito e a outros produtos financeiros de forma mais simples, rápida e sem burocracia, além de taxas competitivas e diferenciadas. O resultado é uma relação de proximidade e confiança que é praticamente impossível de se ter com um banco comercial.

 

Conta corrente/conta conjunta: Disponibiliza todas as funções de uma conta corrente: saques, depósitos, talões de cheques, transferências, etc. 

Conta salário: O cooperado que recebe seu salário em outra instituição pode transferir esse recebimento de forma automática para sua conta corrente na cooperativa, sem qualquer custo. Essa transação é permitida pela resolução 3424 do Conselho Monetário Nacional que disciplina a conta-salário.

Investimentos: Através da centralização financeira, a CECOOP obtém maiores ganhos permitindo sua Cooperativa oferecer as melhores opções de investimento que se adequam ao perfil de cada cooperado, com rentabilidade superior à média do mercado.

Seguros: Contratação de seguros em diversos segmentos. Entre eles, de vida, empresarial, de automóvel, residencial e acidentes pessoais.

 

Para as cooperativas afiliadas

Como vantagens para as cooperativas filiadas, está a garantia de uma atuação segura, sólida e sem desperdício, pois todas as atividades tanto das singulares quanto da Central ficam sob fiscalização e aprovação do Banco Central. 

 

Outra vantagem de integrar o sistema CECOOP é a centralização financeira. Por meio do investimento de recursos disponíveis e das aplicações realizadas, a Central proporciona uma atrativa rentabilidade ao capital das cooperativas filiadas, com o objetivo de gerar ganhos em escala.

 

A CECOOP ainda atua proativamente na prevenção e correção de situações que acarretem risco para a solidez das cooperativas filiadas, além de prestar diversos serviços, entre os quais: centralização dos recursos captados pelas suas cooperativas; padronização e supervisão de sistemas operacionais e de controle de depósitos e empréstimos; auditoria interna; educação e capacitação; assessoria jurídica, assessoria de comunicação; compras em comum.

 

A prestação de tais serviços propicia a redução de custos e o fortalecimento do Sistema. Unindo projetos e sonhos coletivos, a CECOOP vem sendo uma importante solução para o crescimento das cooperativas de crédito.

Estatuto

O Estatuto da CECOOP determina todas as atribuições e responsabilidades da Central, das cooperativas de crédito filiadas e de seus respectivos membros e associados.

Clique para ver o estatuto

Governança

A CECOOP atua de acordo com as boas práticas de governança, que envolvem os conceitos de transparência, equidade, responsabilidade corporativa e prestação de contas.

 

É por meio das diretrizes do Estatuto Social, alinhadas com os interesses da Central, das cooperativas de crédito filiadas e de seus associados, que a instituição segue crescendo em sintonia com os valores do movimento cooperativista.

 

Sua estrutura de gestão é formada por uma Diretoria e por um Conselho Fiscal. A CECOOP trabalha com sistemas de controles internos e externos monitorados pelo Banco Central, e obedece a várias regulações, legislações e fiscalizações, visando a confiabilidade e a sustentabilidade da entidade.

 

Diretoria (Gestão 2016-2020)

 

José Suzano de Almeida (Diretor Presidente)

Mauro Vieira de Carvalho (Diretor de Operações e Administração)

Ari George F. de Siqueira (Diretor Financeiro)

Marília Patrício Rodrigues (Diretor Adjunto)

Isaque Silva de Almeida (Diretor Adjunto)

Jurandir Pereira de Carvalho (Diretor Adjunto)

 

Conselho Fiscal (Gestão 2016-2019)

 

Efetivos

Elivaldo Nogueira Neves

Arlene da Vitória

Donário Silvio Pavan

 

 

Suplente

Edson Miranda Miguel

Política de Risco

Significativas mudanças no sistema financeiro mundial, tais como a integração entre os mercados, o surgimento de novas transações e produtos, o aprimoramento da tecnologia da informação e as novas regulamentações tornaram as atividades financeiras e seus riscos cada vez mais complexos. Além disso, a vulnerabilidade do sistema bancário confirmada pelas “bolhas” financeiras mundiais, serviu de lição para o mercado, o que reforçou a importância da gestão de riscos e exigindo dos processos de gestão um maior controle sobre todas as atividades da organização.

 

Esses fatores influenciaram os órgãos reguladores e as instituições financeiras a investirem na gestão de riscos, alicerçados pelos acordos de capital e pelas recomendações de boas práticas para a gestão dos riscos e para o sistema de controles internos, conforme o Novo Acordo de Capital, comumente conhecido por Basiléia II e seus três pilares:


Pilar I - Exigência de Capital Mínimo;

Pilar II - Supervisão Bancária;

Pilar III - Disciplina de Mercado.

 

Dentro dessa perspectiva, a CECOOP vem investindo no melhoramento contínuo dos processos e das práticas de gestão de riscos e capital, em consonância aos normativos do Conselho Monetário Nacional, necessários para o processo de tomada de decisões de todo o Sistema.

 

Gerenciamento de Riscos

Entende-se que a continuidade dos negócios no sistema cooperativo de crédito é reflexo indissociável das políticas e dos dispositivos de gestão de riscos. Os métodos de identificação, mensuração, avaliação, monitoramento e controle dos riscos resguardam as instituições financeiras em momentos infaustos.

 

Dentro deste preceito, a Central vem aprimorando seu sistema de controles internos e de riscos, desde sua primeira versão em 2007. A estrutura de Gerenciamento de Riscos do Sistema CECOOP tem como objetivo identificar, avaliar, mensurar, controlar e mitigar os riscos associados ao Sistema, garantindo a aderência às normas vigentes, por meio de boas práticas de gestão e na forma instituída nos normativos do Conselho Monetário Nacional e do Banco Central do Brasil:

 

- Gerenciamento do Risco Operacional: Resolução nº 3.380/2006;

- Gerenciamento do Risco de Crédito: Resolução nº 3.721/2009;

- Gerenciamento do Risco de Mercado: Resolução nº 3.464/2007;

- Gerenciamento do Risco de Liquidez: Resolução nº 4.090/2012;

- Gerenciamento do Capital: Resolução nº 3.988/2011;

- Gerenciamento do Risco Socioambiental: Resolução 4.327/2014.

 

Estrutura Designada: 

- Diretor Responsável pelo SCI - Sistema de Controles Internos e de Riscos;

- Monitor de Controle Interno e de Riscos;

- Agente de Controle Interno e de Riscos.

Política de Responsabilidade Socioambiental

A Central possui uma Política de Responsabilidade Socioambiental, que é baseada nos princípios da promoção do desenvolvimento da responsabilidade sustentável; da eficiência e conservação ambiental; da ética e combate à corrupção; e da gestão participativa e transparente.

 

Todo o trabalho é fiscalizado pelo setor de Controles Internos da Central e direcionado para análise da diretoria da instituição, com o objetivo de evitar perdas de imagem, perdas legais e, consequentemente, diminuição de receitas.

 

Entre os itens observados estão:

Gerenciamento do risco socioambiental, considerando as regulamentações e demandas das filiadas;

- Redução do consumo de papel e de toner;

- Desenvolvimento contínuo do relacionamento com as cooperativas filiadas, seus associados e fornecedores, no que diz respeito às práticas socioambientais;

- Uso racional dos recursos naturais;

- Apoio a políticas que promovam melhorias contínuas para a sociedade e mitiguem desafios sociais e ambientais.